Casa dos Ventos e ADM anunciam acordo para abastecer sete plantas no Brasil com energia eólica

ADM

Iniciativa vai contribuir para mitigar as emissões de gases de efeito estufa e para o combate às mudanças climáticas

 

São Paulo, 8 de novembro de 2021 – O compromisso global da ADM em reduzir as emissões de carbono avança uma etapa significativa na operação brasileira. Pela primeira vez, a empresa vai investir em energia eólica para abastecer sete plantas instaladas no país: Campo Grande (MS), Rondonópolis (MT), Santos (SP), Joaçaba (SC), Porto Franco (MA), Três Corações e Uberlândia (ambas em MG). O Power Purchase Agreement (PPA) foi assinado com a Casa dos Ventos, empresa detentora do maior portfólio de projetos de geração eólica e solar no País. A previsão é de uma economia em torno de U$18mi em 15 anos, período inicial de duração do contrato.

O acordo contará com a energia a ser gerada no Complexo Eólico Babilônia Sul, localizado em Morro do Chapéu e Várzea Nova, na Bahia, e vai proporcionar uma redução anual de emissão de 19 mil toneladas métricas de CO2, contribuindo, assim, para combater as mudanças climáticas. “Esse é um passo importante para avançarmos no consumo de energia limpa com projetos de autogeração e reforça a sustentabilidade em posição de destaque na estratégia do negócio da companhia”, declara Domingo Lastra, presidente da ADM para América Latina, lembrando que a empresa usa também fonte de energia renovável em outras unidades, como é o caso das plantas Campo Grande, Rondonópolis, Joaçaba e Villeta, onde a ADM faz plantio de árvores para abastecer a queima da caldeira a partir de cavacos de eucalipto 100% reflorestado.

O diretor de Novos Negócios da Casa dos Ventos, Lucas Araripe, destaca o compromisso das empresas com os princípios ESG como um dos principais impulsionadores da expansão da matriz renovável hoje. “Por meio de parcerias como esta, estamos incluindo cerca de 1,5 GW de energia renovável na matriz brasileira até 2023, e estamos preparados para apoiar as empresas em sua transição energética como um parceiro estratégico”. O executivo conta ainda que, para ampliar a oferta de energia eólica e solar, a companhia vai investir em parques híbridos. “Apostamos na complementaridade das fontes para potencializar a capacidade de geração dos empreendimentos”.

Metas ambientais – A utilização de energia limpa contribui para que a ADM alcance as metas ambientais previstas no programa interno Strive 35 da companhia – um plano ambicioso para, até 2035, reduzir as emissões absolutas de GEE em 25%; reduzir a intensidade de consumo de energia em 15%, reduzir a intensidade de uso da água em 10% e alcançar uma taxa de desvio de aterro de 90%. “Estamos conscientes de nossa pegada de carbono em nossas operações e na cadeia de suprimentos. Temos uma política de sustentabilidade que estabelece um conjunto de metas ambientais, o qual é revisado ano a ano e unimos todos os esforços para cumpri-las”, comenta Diego Di Martino, líder de sustentabilidade ADM Latam. Além disso, a empresa também se compromete a desenvolver uma estratégia global, focada na melhoria do bem-estar da comunidade em bacias hidrográficas prioritárias, incluindo áreas com escassez de água até 2025.

COP26 – No início desta semana, Juan Luciano, CEO da ADM, assinou uma declaração ao lado de outras gigantes do agronegócio, na qual se compromete a desenvolver, até a próxima COP – a COP27, que será realizada em novembro do ano que vem, um roteiro de ações para conter o aquecimento global em 1,5% acima dos níveis pré-industriais. O documento, que será anunciado na Cúpula dos Líderes Mundiais sobre Florestas e Uso da Terra durante a COP26, é mais uma evidência pública do compromisso da ADM com a redução das emissões de gases do efeito estufa (GEE).

 

Sobre a ADM

Presente há mais de 20 anos na América do Sul, a Archer Daniels Midland Company (NYSE: ADM) é uma das maiores empresas do agronegócio no mundo. Atua no processamento e comercialização de grãos (soja e milho); fabrica óleos vegetais, ingredientes e insumos para a indústria química, alimentícia e de nutrição animal, biodiesel e opera uma grande estrutura logística para levar esses produtos para os mercados em todo o mundo. É no Brasil, no entanto, que está localizada a maior operação sul-americana da ADM, empregando cerca de 6.400 colaboradores, desde 1997 – ano que marcou o início de suas operações. Em 2020, a ADM registrou o terceiro recorde anual consecutivo na originação de grãos do Brasil. Desde 2009, através do ADM Cares -programa de investimentos sociais – a empresa investiu mais de US﹩ 4,5 milhões de dólares na América do Sul, apoiando diversos projetos nas áreas educacional, social e ambiental. www.adm.com

 

Sobre a Casa dos Ventos

A Casa dos Ventos é uma empresa brasileira que desenvolve, constrói e opera projetos de geração de energia a partir de fontes renováveis. Responsável pela maior campanha de medição de ventos já empreendida no mundo, a empresa desenvolveu um em cada três parques eólicos em operação no Brasil. A trajetória da companhia é marcada por investimento em inovação e concepção de soluções customizadas para apoiar a transição energética de consumidores para um suprimento sustentável. Para seguir com seu protagonismo no setor, a Casa dos Ventos é detentora do maior portfólio de projetos eólicos e solares do Brasil. A companhia aderiu ao Pacto Global da ONU e trabalha de forma alinhada com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as melhores práticas de ESG, preservando os biomas locais, desenvolvendo projetos sociais nas comunidades em que está presente e contribuindo para uma economia de baixo carbono.