A Casa dos Ventos é uma das pioneiras e maior desenvolvedora de projetos eólicos no Brasil. Há oito anos no mercado, somos responsáveis pelo maior número de projetos que venderam energia nos leilões e no ambiente de contratação livre. Esses empreendimentos totalizam 5,5 GW de capacidade instalada e representam aproximadamente 30% de todos os parques eólicos em implantação ou operação no país.

Por meio de metodologia própria para identificar e avaliar recursos eólicos, contamos com o maior portfó​lio do país, com projetos no Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Bahia que totalizam 15,5 GW de capacidade instalada, além dos parques já viabilizados e mencionados acima​.

 

Projetos Desenvolvidos

 
 


image018 3Complexo eólico Ventos do Araripe, no Piauí, em operação desde 2015.

Projetos em operação

Com o objetivo de contribuir para uma matriz energética mais limpa e para o desenvolvimento sustentável do país, buscamos constantemente novas oportunidades de negócio, em especial no nordeste brasileiro.


Ventos do Araripe III


Na divisa entre Piauí e Pernambuco e no alto da Chapada do Araripe, o complexo eólico Ventos do Araripe III será composto por 14 parques eólicos. Com 156 aerogeradores e uma potência instalada de 360 MW, este complexo eólico será um dos maiores da América Latina.


Aerogeradores em Ventos do Araripe III

No total, foram arrendadas 71 propriedades nos municípios de Simões (PI) e Araripina (PE), abrangendo uma área de 10.200 hectares para a instalação das usinas eólicas. Além da implantação dos parques, a Casa dos Ventos foi responsável pela construção de uma linha de transmissão de 35 quilômetros para conectá-los ao Sistema Interligado Nacional. O Complexo Eólico Ventos do Araripe III recebeu R$1,8 bilhão de investimento, iniciou operação comercial das primeiras máquinas em Novembro de 2016, alcançando já 4 parques eólicos com operação comercial antecipada.

Você pode acompanhar o status de nossos projetos por meio de atualizações em nossos canais oficiais no Facebook, Linkedin e Twitter​.

O portfólio da Casa dos Ventos é o maior do Brasil. Para chegarmos até aqui, foram anos de pesquisa desenvolvendo uma metodologia proprietária para identificar e avaliar os principais recursos eólicos do país. Possuímos uma fábrica de torres de medição que nos garante um abastecimento contínuo para os projetos e nos possibilitou ter a maior campanha de medições anemométricas do país.

DSC 0768Campanha de LIDAR em Jacobina - BA


Baixa Incerteza na Geração de Energia

Além de possuir mais de 450 torres de medição gerando informação para nossos projetos, utilizamos equipamentos de sensoriamento remoto para validar nossas modelagens e reduzir incertezas nas estimativas de geração de energia dos projetos.

A Casa dos Ventos possui dois tipos de sensoriamento remoto: LIDAR (Light Detection and Ranging, ou “laser radar”) e SODAR (Sound Detection and Ranging, ou “acoustic radar”. O LIDAR e SODAR utilizam o efeito Doppler através de feixes de luz e som, respectivamente. As grandes vantagens são poder operá-los com grande mobilidade no campo e o alcance de medir o vento até os 200m de altura com boa acurácia enquanto as torres de medição são estáticas e possuem até 120m.

Um outro procedimento que adotamos com o objetivo de reduzir incertezas na avaliação do recurso eólico é o perfilamento a laser da topografia do projeto. Através desse levantamento, conseguimos ter uma maior precisão do relevo e vegetação, variáveis que apresentam influencia no escoamento do vento.

Incentivo a pesquisa

Acreditamos que o conhecimento através de pesquisa é o que nos mantém em uma posição de destaque no setor eólico nacional. Para isso, firmamos parcerias estratégicas com fornecedores de equipamentos, desenvolvedores de softwares para o setor eólico e certificadoras independentes, entre outros, sempre com o objetivo de transferência mútua de informação e tecnologia. Essas são algumas das iniciativas que qualificam nosso corpo técnico e tornam a Casa dos Ventos a única empresa brasileira a apresentar estudos e relatórios em conferências internacionais.

DSC00272Medição de SODAR em Simões - PI

Comprometida com a diversificação do seu portfólio na área de renováveis, a Casa dos Ventos investe capital e expertise também na geraçãohidrelétrica, principal fonte da matriz energética brasileira. Temos no nosso portfólio a PCH Candengo, uma das primeiras usinas hidrelétricas do país, construída em 1922. A usina é abastacida pelo rio Una e está localizada no município de Valença na Bahia.


No ano de 2017 concluímos as obras de modernização da PCH Candengo, com a troca de equipamentos e ampliação da sua capacidade instalada de 2MW para 11MW.

A energia gerada pela PCH Candengo é destinada ao mercado livre e é suficiente para abastecer o consumo de dez mil residências.


PCH Candengo 01


PCH Candengo 02

 

Candengo foi uma das primeiras centrais hidrelétricas do Brasil e representa um legado importante para o caráter renovável da nossa matriz energética.

Além de líder no desenvolvimento de parques eólicos no Brasil, também investimos em projetos de energia solar. Com o objetivo de desenvolver usinas solares com incertezas reduzidas e maior confiabilidade de geração, investimos em uma ampla campanha de medições de recurso solar. Isso é feito através da instalação de estações solarimétricas nas regiões de maior incidência solar do país, bem como nas regiões onde já possuímos projetos eólicos.

Estes últimos, além de estarem em regiões de elevado potencial solar, ainda se beneficiam da infraestrutura de conexão elétrica já existente para a usina eólica. Um exemplo disso é o Complexo Fótons de São Patrício, localizado ao lado do complexo eólico Tianguá, no Ceará. O empreendimento será composto por quatro usinas fotovoltaicas e terá capacidade instalada de 122,4 MW. O projeto se conectará na mesma subestação do parque eólico e será composto por aproximadamente 450 mil módulos policristalinos.

projetos solares edit