O principal desafio no início de um novo projeto é engajar as partes envolvidas em torno das vantagens da instalação de um parque eólico na região, especialmente as comunidades, pois existem muitas expectativas relacionadas à chegada de um empreendimento: os eventuais impactos ambientais, a movimentação das obras, as ofertas de postos de trabalhos e, finalmente, o retorno social do projeto. 




Dessa forma, a responsabilidade socioambiental é vista por nós como prioridade, pois impacta diretamente na vida das pessoas que convivem com um projeto. “Uma vez implantado, um empreendimento tem o poder de mudar para melhor a condição econômica e social de todo um município. Nossa tarefa é apoiar o poder público, coordenar novas ações e sermos os catalizadores dessa mudança”, explica o diretor de novos negócios, Lucas Araripe. 

E nesse trabalho, existem dois campos de atuação: ambiental e social, cada um com sua peculiaridade.


Preocupação com o meio ambiente

Estar comprometido com a proteção do meio ambiente e realizar a gestão dos recursos naturais de forma eficiente e sustentável. É nossa política manter ou melhorar substancialmente o perfil ambiental nos locais onde atuamos, e nesse caminho, nossos objetivos são claros.

Durante a fase de implantação de um parque eólico, analisamos cuidadosamente as alterações socioambientais e possíveis ocorrências, estabelecendo as principais ações para prevenir, compensar ou mitigar seus efeitos. 

Para explicar melhor como atuamos, listamos algumas alterações ambientais e as ações que colocamos em prática para garantir a segurança da natureza na região:

 Aumento no tráfego de veículos, riscos de acidentes de trânsito: melhorar e sinalizar as vias de acesso; trafegar em baixar velocidade e com luzes acesas; informar a população dos itinerários.

• Poeira e emissão de ruídos pelo tráfego: cobrir caçambas e dirigir em baixa velocidade; disciplinar horários de trabalho; manutenção preventiva nos veículos.

 Supressão da vegetação e exposição direta do solo: realizar o desmatamento somente nas áreas licenciadas e fazer a reposição florestal: implementar o Plano de Controle da Erosão; conservar a vegetação nativa nas áreas onde não exista a necessidade de intervenção.

• Afugentamento temporário e acidentes envolvendo animais silvestres: promoção de ações de conscientização junto aos trabalhadores; tráfego em baixa velocidade; implantação do Programa de Resgate e Salvamento da Fauna e o Programa de Monitoramento da Fauna.

• Interferência em aves e morcegos: disposição dos aerogeradores em linhas espaçadas; utilização de aerogeradores modernos; implementar o Programa de Monitoramento da Fauna.

 Emissão de ruídos: dar o adequado distanciamento das residências; priorizar equipamentos que emitam baixo nível de ruído; implementar o Programa de Monitoramento de Ruídos.


Energia dos Ventos: capacidade para transformar a vida das pessoas

Para além das atividades exigidas durante o processo de licenciamento ambiental e as melhorias em decorrência da implantação e funcionamento de um parque eólico, a Casa dos Ventos realiza investimentos em iniciativas sociais. Essas ações, apesar da natureza estritamente voluntária e desvinculada do licenciamento ambiental do empreendimento, representam a oportunidade de exercermos nossa responsabilidade socioambiental corporativa em parceria com o Poder Público, especialmente municipal e estadual.

Nesse contexto, diversas atividades locais, como o “Natal Solidário”, campanha de páscoa, doação de cestas básicas e piquenique de confraternização, já foram realizadas, entre outras. Também estamos executando em parceria com o Poder Público Municipal um projeto educacional que garanta melhores condições de acesso à educação promovendo contrapartidas onde a empresa possa realizar melhorias e construção de novas escolas enquanto a Secretaria de Educação garanta a oferta de transporte e corpo docente condizente com a realidade da demanda de alunos. Como exemplo a Casa dos Ventos construiu uma escola, playground, e quadra esportiva, no município de Araripina, e projetos de acesso a água para a população de Simões.

Inauguração de escola com investimento Casa dos Ventos em Araripina-PE

 A responsabilidade na condução de uma estratégia de avaliação de projetos sociais vai desde uma visita a região para investigação das necessidades locais, reuniões com o Poder Público, entrevistas com os moradores, até a identificação de recursos disponíveis para a execução do projeto. 

Na região de Simões, por exemplo, a Casa dos Ventos iniciou a primeira avaliação de projetos sociais em 2014. De lá para cá, temos promovido iniciativas que melhoram a vida das comunidades diretamente e continuaremos com elas.

E na área social, assim como na ambiental, também atuamos para mitigar as principais alterações, de forma a garantir o desenvolvimento. Aqui, alguns exemplos:

• Tensão emocional: indenização justa e antecipada às famílias por residências em áreas de cultivo a serem afetadas pelo projeto; ativação do Programa de Comunicação Social e o Programa de Comitê de Famílias, criando condições de empoderamento e fixação do homem à terra, resgatando sua dignidade e autoestima

• Geração de empregos: contratar prioritariamente os moradores da região; Programa de Capacitação Técnica e aproveitamento de mão de obra local.

• Novas oportunidades e economia da região: priorizar aquisição de bens e serviços de fornecedores locais, como hospedagem, transporte, alimentação e aluguel de imóveis.

Caso queira saber mais sobre o nosso trabalho, fique ligado nos nossos canais oficiais no FacebookTwitter e Linkedin. É por lá que atualizamos e informamos a todos sobre as ações realizadas nas áreas social e ambiental.

Download do artigo em PDF
Download this file (Política Socioambiental.pdf)Política Socioambiental.pdf