O recurso eólico é uma das mais promissoras fontes de energia: é renovável, não produz resíduos ou gases tóxicos e possui baixíssimo impacto ambiental, que pode ser minimizado com tecnologia e Engenharia. Esses fatores tornam a energia eólica uma das principais fontes alternativas aos combustíveis fósseis.

beneficiosA Casa dos Ventos busca minimizar os riscos e impactos ambientais por meio do trabalho realizado por uma equipe especializada, que elabora estudos específicos para cada região e projeto.


Trabalhar em conjunto para o bem mútuo

Em nossas relações, temos como prioridade manter um relacionamento de longo prazo com os proprietários de terra, cujo resultado é benéfico para ambas as partes.

Usinas eólicas não impedem a ocupação tradicional do solo e não desalojam proprietários. É uma atividade econômica complementar, cujos proprietários recebem uma remuneração que ajuda a estimular a economia na região. Durante a fase de contratação das propriedades, um dos legados é o da a regularização fundiária. Ao longo da construção e operação das usinas, aproveitamos a mão-de-obra local, inclusive com a promoção de cursos de capacitação.

Entre os benefícios que chegam à região, está o investimento na infraestrutura local, através da melhoria de vias e de acessos no entorno dos parques - para o transporte dos equipamentos - e construção de linhas de transmissão e subestação. Para todos os empreendimentos que implantamos, levantamos as principais demandas da região e elaboramos programas de cunho socioambiental em prol da redução das carências locais.

A energia eólica é produzida a partir da força dos ventos e é gerada por meio de aerogeradores. Neles, a força do vento é captada por hélices ligadas a uma turbina que aciona um gerador elétrico. É uma energia abundante, renovável e limpa.

Embora pareça nova, a energia eólica é usada há mais de 3 mil anos. Antigamente ela era utilizada por meio dos moinhos, que serviam para bombear ou drenar água, moer grãos e outras atividades que dependiam de força mecânica. Ao longo do tempo, passaram a utilizar a força dos ventos não só para gerar força mecânica, mas também energia elétrica. Com o avanço tecnológico, os aerogeradores se tornaram aptos a gerar uma quantidade maior de energia, até que surgiram as primeiras usinas eólicas.

 

IMG 6017Complexo eólico da Casa dos Ventos em Caetés - PE


Como funciona?

Um sistema eólico pode ser utilizado em duas aplicações:

  • Sistemas isolados, que armazenam a energia em baterias, normalmente utilizados em aplicações residenciais e de menor escala

  • Sistemas integrados à rede, que entregam a energia direto para a rede elétrica, normalmente em maior escala e com fins comerciais


Existe também a aplicação off-shore que é um sistema de produção de energia eólica instalado no mar, que aproveita os ventos fora da costa e utilizam redes elétricas para transmitir a energia para o continente.


Energia Eólica no Brasil

No Brasil, a primeira turbina de energia eólica foi instalada em Fernando de Noronha, em Pernambuco, em 1992. Na época, a geração de energia elétrica correspondia a 10% da energia gerada e consumida na ilha. Isso economizava 70 mil litros de óleo diesel por ano.

Em fevereio de 2017, o Brasil atingiu 10,8 GW de energia eólica em operação, representando 7,1% da matriz elétrica brasileira, atingindo o 9º lugar na geração eólica no mundo.

Com os parques atualmente em construção, estima-se que até 2020 o país terá aproximadamente 600 parques eólicos em operação, dos quais cerca de 30% foram desenvolvidos pela Casa dos Ventos. Esses parques terão capacidade instalada de 17,9 GW, e representarão em torno de 10% de toda a energia produzida no Brasil.

O crescimento da fonte eólica no Brasil tem sido expressivo, mas se analisarmos seu potencial, ainda temos muito a explorar. Segundo estudos da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o Brasil tem potencial de 300 GW de geração eólica, o que corresponde a 2,2 vezes a matriz elétrica brasileira.