dpeolica

Leonardo Soares, Gerente de Operação e Manutenção da Casa dos Ventos, explica como é o funcionamento de cada componente: 

Ouça a entrevista também no Soundcloud

Torre – A torre de um aerogerador tem basicamente duas funções: a primeira é o suporte estrutural do aerogerador como um todo, fazendo a ligação entre a nacele e a fundação. A segunda função é permitir o acesso dos técnicos de manutenção à nacele. Esse acesso interno pode ser feito via escada ou via elevador. As torres tipicamente têm de 60 a 120 metros de altura e podem ser feitas de aço ou concreto. 

Rotor – O rotor do aerogerador é a composição do conjunto das três pás e do que se chama de cubo, que é a peça que une as três pás. Esse conjunto se chama rotor. A principal função do rotor é capturar a energia mecânica do vento e transmiti-la para o eixo central, que vai ser conectado na caixa de multiplicação e, consequentemente, no gerador. Rotores tipicamente têm de 60 a 150 metros de diâmetro.

Nacele – A nacele é a região que informalmente é conhecida como cabeça do aerogerador. Dentro da nacele estarão todos os componentes mais importantes para a geração, como a caixa de multiplicação, o gerador e vários outros componentes eletrônicos e mecânicos importantes para o funcionamento. Tipicamente, a nacele é uma caixa feita de fibra de vidro, e fica presa a uma estrutura fixada ao teto da torre. Dentro da nacele é que são realizadas as principais atividades de manutenção do aerogerador. 

Caixa de multiplicação (transmissão) – A caixa de multiplicação, em inglês conhecida como gear box, é uma caixa responsável para aumentar a rotação que vem do rotor, tipicamente uma rotação lenta da ordem de10 rpm  (rotações por minuto), até a rotação exigida pelo gerador para a geração de energia elétrica, entre 1 mil e1,4 mil rpm. A caixa de multiplicação é uma caixa de engrenagens que possui estágios paralelos e planetários combinados para atingir faixas de transformação da ordem de 120 vezes.

Gerador – O gerador é um componente eletromecânico responsável pela conversão da energia mecânica de eixo em energia elétrica que será entregue à rede. O gerador pode ser do tipo síncrono ou assíncrono, dependendo da aplicação.

Anemômetro – O anemômetro é um instrumento meteorológico localizado na parte superior e externa da nacele, que tem a finalidade de medir a velocidade média do vento ambiente. Essa velocidade informa ao aerogerador quando ele deve ligar para começar a produzir energia e quando ele deve desligar, se o vento for forte demais para as condições de produção.

Pás do rotor – As pás do rotor são os principais componentes aerodinâmico do aerogerador. Cada pá tem um perfil calculado de forma a otimizar a extração de energia do vento, e converter essa energia em torque no eixo principal. As pás do rotor são tipicamente fabricadas em fibra de vidro ou em fibra de carbono, e tem entre 20 e 60 metros de comprimento.

Biruta (ou sensor de direção) – A biruta ou sensor de direção é um instrumento meteorológico tipicamente situado próximo ao anemômetro (ou composto com o anemômetro), cuja finalidade é indicar a direção do vento incidente. Essa informação é utilizada pelo aerogerador para que este direcione o rotor de forma a ficar perpendicular ao vento incidente, e assim capturar a maior energia possível.

Fonte: Web Rádio Água