Evento terá palestra especial do economista Gustavo Franco, que fará uma análise do cenário econômico atual e das perspectivas para novos investimentos e retomada do crescimento.


A ABEEólica – Associação Brasileira de Ebergia Eólica, associação que congrega e representa o setor de energia eólica no Brasil, realizará, no dia 25 de maio, evento para discutir financiabilidade para os projetos de eólica. O 5º Encontro de Negócios ABEEólica acontecerá no Hotel Unique, das 8h às 17h, conforme programação abaixo


No talk show de abertura, empresas e bancos discutem aspectos importantes das perspectivas para financiamentos de novos projetos para o setor eólico. Participam deste painel as seguintes empresas: Casa dos Ventos, CPFL Renováveis, Enel Green, Rio Energy e Voltália, além dos bancos Santander e Itaú. Na sequência, representantes do BNB e do Banco do Brasil discutem sobre o mesmo tema na visão dos projetos de fomento. O terceiro item da programação é a palestra do economista Gustavo Franco sobre cenário macro econômico e político e perspectivas para novos investimentos.


Após o almoço, a primeira palestra será do BNDES, que vai discutir financiabilidade da indústria eólica na visão do banco. Na sequência, a Câmara Brasil-China falará do interesse da China no mercado de eólicas no Brasil. E, por fim, um talk show discutirá com empresas a expansão da cadeia produtiva do setor. Participam desta última discussão as empresas Vestas, Gamesa, Sany Wind, Siemens, Wobben, Acciona, WEG e GE.


Além dos talk shows e palestras, a ABEEólica também lançará no evento o Boletim Anual de Geração Eólica 2015, que reúne os dados da indústria no ano passado. Capacidade instalada, geração realizada, fatores de capacidade, investimento e ganhos sistêmicos estão entre os dados apresentados na publicação. A indústria eólica chegou a dezembro de 2015 com 8,72 GW de potência total instalada. Em maio de 2016, este número já chega a 9,51 GW e segue crescendo. De acordo com o GWEC – Global World Energy Council, o Brasil foi o quarto país em crescimento de energia eólica no mundo em 2015, atrás da China, Estados Unidos e Alemanha e representando 4,3% do total de nova capacidade instalada no ano passado no mundo todo.

Fonte: Maxpress