Em entrevista ao GP1, o secretário de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luís Coelho, falou sobre a venda realizada pela Casa dos Ventos para a empresa Cubico, no valor de R$ 2 bilhões, de um parque eólico no Piauí e outro em Pernambuco.

O parque eólico está localizado na cidade de Simões e tem capacidade de produção de 210 MW. A Casa dos Ventos produziu todo projeto, implantou o Parque e agora o vendeu. Para o secretário, o Piauí sai ganhando, pois mais empresas estão se interessando em trabalhar no Piauí.

“É bom para o Estado quando esse tipo de coisa acontece, é mais investimento para a gente. Vamos ter mais investimentos em outros parques. Só o grupo Votorantim está interessado em investir R$ 3,3 bilhões para produção de 618 MW. Isso para as cidades de Betânia, Curral Novo e Paulista. Nessa semana mesmo teremos audiências nessas cidades sobre essa implantação da empresa e é uma obra que vai trazer avanços para a região e a empresa ganha, pois vende parte daquilo que é produzido”, destacou.


O secretário Luis Coelho explicou que os moradores da região são beneficiados com a instalação de empresas interessadas na produção de energia eólica, pois eles conseguem uma renda mensal.

“A empresa antes de se instalar, faz um estudo, um projeto para saber a viabilidade de instalação. Depois ela conversa com os proprietários para que permitam instalação de um aerogerador em suas terras. Se no caso, o dono não tem a situação regularizada, então a própria empresa ajuda o morador a regularizar. Depois com a autorização do morador, é implantado o aerogerador, podendo ser um, dois, três, ou até mais. Então a empresa usa aquela terra para isso, mas ele não compra ela. Ele paga um aluguel para o proprietário da terra para deixar o aerogerador funcionando lá. Essa parceria pode fazer com que um morador ganhe R$ 1.500 até R$ 3.500 por mês, dependendo da quantidade de aerogeradores instalados em cada propriedade”, explicou o secretário.

Luis Coelho explicou que o Piauí está crescendo nessa área e que só em Simões existem cerca de 7 parques eólicos. Ele afirmou ainda que ainda vai demorar para o piauiense e o brasileiro sentir uma diminuição na conta de energia devido a essa produção.

“Vai demorar para sentir essa diferença, é preciso muita produção, mas é claro que hoje a produção de energia pelas termoelétricas custa muito caro para o Brasil, e esse tipo de energia quando for produzida em grande escala, além de ser uma fonte de energia limpa, será mais barata”, afirmou.


Fonte: GP1