Para aumentar sua capacidade de investimento, a empresa cearense vendeu dois parques eólicos por R$ 2 bilhões e planeja expansão de mais 60 MW na usina de Tianguá


A Casa dos Ventos, investidora cearense em projetos de energia, anunciou, ontem, a venda de dois parques eólicos à empresa com sede em Londres, Cubico Sustainable Investments (Cubico), por cerca de R$ 2 bilhões. O montante ampliará a capacidade de investimento da empresa. No Ceará, a Casa dos Ventos ampliará o complexo de Tianguá, que possui 130 megawatts (MW) em construção - investimento de R$ 800 milhões - e prevê mais 60 MW para o parque, o que representa um investimento de cerca de R$ 300 milhões.


Para viabilizar a expansão, a companhia aguarda a realização do leilão de energia A-5, que será realizado no fim de março deste ano. “A gente está programando ainda uma área reservada para um projeto de energia solar, em Tianguá”, informa Lucas Araripe, de Projetos e Novos Negócios da Casa dos Ventos.

Com relação à energia solar, serão 120 MW, um investimento em torno de R$ 600 milhões. Porém, a empresa ainda aguarda que o Governo Federal anuncie a data do leilão que incluirá esse tipo de matriz energética.

Questionado se também venderá os projetos que possui no Ceará, Araripe diz que não há negociações. Atualmente a empresa tem 15 mil MW na carteira de projetos para concretizar ainda e os R$ 2 bilhões da venda vão impulsionar os investimentos. Alguns deles no Ceará: Salitre, na Chapada do Araripe, em Tauá e no Jaguaribe. Esses parques estão em estágio preliminar.

“No início dos projetos, a gente ganhava leilão e os vendia prontos para construção. Com o passar do tempo montamos uma equipe de 60 engenheiros dedicados para a construção dos parques. Agora, nosso principal desafio é formar uma grande quantidade de parques mantidos pela Casa dos Ventos. Montamos um centro de treinamento em Maracanaú e pretendemos manter cerca de 3 mil MW em projetos dentro da empresa”, diz.

Dos projetos em andamento, a usina eólica em Tianguá está em estágio de obras, com montagem das 77 turbinas, e tem previsão de iniciar operação ainda em junho de 2016

Venda

A venda de R$ 2 bilhões, que foi concluída no fim de 2015, é a maior já realizada no Brasil envolvendo ativos eólicos em operação e inclui os parques Ventos de Santa Brígida (PE), com 182MW, e Ventos do Araripe I (PI), com 210MW. Os dois complexos eólicos representam cerca de um terço dos ativos com energia contratada da Casa dos Ventos. A transação foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Fonte: O Povo